Você já sabe o que fazer com o 13º salário?

Essa época do ano, muito aguardada, é o momento de receber o 13º salário, de organizar as viagens, festividades e consequentemente, os presentes. Entretanto, adotar estratégias para racionalizar os custos ajudam a manter os gastos em ordem. Mas qual seria a melhor maneira de utilizar o 13º para não comprometer as finanças?

O primeiro passo é planejar! Pois mesmo com as dívidas de crediários ou parcelamentos no cartão de crédito é possível sim viajar ou comprar presentes, porém ao refletir sobre a real necessidade de alguns gastos ajuda a otimizar os custos e até mesmo, fazer mudanças. De repente uma viagem a um lugar mais próximo e não distribuir tantos presentes individuais pode ser uma boa saída.

E que tal priorizar os pagamentos a vista? Às vezes fica difícil não parcelar a compra. Contudo, o pagamento a vista não compromete o orçamento futuro e ajuda a economizar porque sempre é mais fácil conseguir um desconto ainda mais nesta época do ano que é comum o endividamento no carão de crédito.

O ano de 2019 apresenta o recorde histórico de inadimplência, mais de 63 milhões de brasileiros não tiveram condições de manter as finanças em dia. Embora os gastos com água, luz e gás  tenham apresentado uma baixa, os cartões ainda aparecem no topo das dívidas e somam 29,2%, segundo revelado pelo SerasaExperian.

A terceira dica é reservar o dinheiro. Até pelo fato de o 13º salário não servir apenas para pagar e comprar. Parte desse valor pode ser aplicado, investido ou poupado para servir como um fundo de reserva para emergências e eventualidades.

Pagar as contas do ano seguinte. A cada início de ano se arca com os impostos como o IPTU e o IPVA, por exemplo, e destinar a verba para estes custos, além dos descontos não compromete o orçamento nos primeiros meses.

E por último, que tal quitar as dívidas? Nem sempre o 13º salário vai resolver a vida financeira, todavia em muitos casos seja o alívio financeiro ao diminuir ou quitar as dívidas. Essa pode ser a solução para sair dos altos juros de cheque especial, cartão de crédito e ainda começar o ano no azul.

COMPARTILHAR