Você sabe o que é o Currículo Lattes e para que ele serve?

A Analista Acadêmica da Pró-Reitoria de Ensino, de Pesquisa e de Extensão da Unisul, Gisele Mazon, e doutoranda em Administração, tem um amplo conhecimento sobre Currículo Lattes e nos explica o que é esta base de dados, para que ela serve e ainda fornece algumas dicas. Saiba mais sobre o assunto na entrevista com a professora Gisele Mazon, abaixo:

 

O que é o Currículo Lattes?
A preocupação dos dirigentes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em criar uma base de registro de currículos de pesquisadores brasileiros, surgiu em meados dos anos 80. A partir desta necessidade, foi criado o que se chamava de Banco de Currículos, passou a integrar a “Plataforma Lattes”. Esta plataforma representa a integração de bases de dados de currículos, de grupos de pesquisa e de instituições em um único local. Mas, foi em agosto de 1999, que o CNPq lançou e padronizou o Currículo Lattes como sendo o padrão de currículos que, a partir daí, seriam utilizados no âmbito do Ministério da Ciência e Tecnologia e CNPq. O principal objetivo para a criação do Currículo Lattes, segundo o CNPq, foi a possibilidade e a facilidade de se fazer avaliação curricular de um professor/pesquisador, e a criação de uma base de dados onde se poderiam selecionar especialistas nas mais diversas áreas de conhecimento, além de possibilitar ainda as estatísticas sobre pesquisa científica no Brasil.

Para que serve?
Desde sua implementação pelo CNPq, o Currículo Lattes vem aumentando sua abrangência. Hoje é utilizado pelas principais universidades, institutos e centros de pesquisa, e principalmente as fundações de amparo à pesquisa dos estados (no caso de Santa Catarina, a FAPESC) como instrumento para a avaliação de professores e pesquisadores. No Currículo Lattes são discriminadas informações como vinculação profissional, projetos de pesquisa, produção acadêmica e tecnológica, orientações, dentre outras. Tudo o que for relacionado a vida acadêmica de um professor, pesquisador ou aluno poderá estar registrado em seu currículo.

Quem deve ter o currículo?
Qualquer pessoa pode criar seu Currículo Lattes, em especial pesquisadores, professores e alunos, dada a característica da plataforma.

Qual a melhor periodicidade para atualizar?
Como o Currículo Lattes faz parte de uma plataforma online, a atualização deve ser periódica. Sempre que algo novo for realizado, seja uma palestra, uma nova disciplina ministrada, um novo artigo publicado, uma participação em evento ou qualquer outra atividade realizada, deverá ser registrada no currículo. A certificação de que as informações alí contidas estão atualizadas, deve ser realizada pelo menos a cada 3 meses.

Como fazer um bom uso ou quais são os benefícios de manter o currículo atualizado?
O currículo atualizado traz visibilidade e credibilidade ao professor/pesquisador. A busca por nossos currículos é mais comum do que imaginamos. Alunos buscam pelo currículo de seus professores. Agências de fomento, principalmente as financiadoras de projetos, buscam pelo currículo de professores e pesquisadores. É por meio do currículo que a comunidade conhece aquilo que é desenvolvido academicamente pelo professor/pesquisador. Quais são suas linhas de pesquisa, em que área está publicando e lecionando.

Qual são as informações mais importantes que não podem nunca faltar no currículo?
Não podem faltar informações como: formação acadêmica, vinculação profissional, endereço, projetos de pesquisa (quando houver), publicações (quando houver), eventos, bancas e orientações.

Nos dê algumas dicas de preenchimento.

  • Atente-se de que você é o especialista na sua área de conhecimento, mas quem busca por seu currículo pode não conhecer tão bem sua área, por isso evite abreviaturas e siglas.
  • Todos que possuem um curso de graduação, precisam cadastrar seu currículo na Plataforma Lattes, pois muitas das grandes empresas já utilizam esta ferramenta na busca por novos profissionais;
  • Se você é aluno iniciante num curso de graduação, e possui pouca ou nenhuma experiência, insira pelo menos seu curso, formações, domínios linguísticos mas, se for um aluno já formando, destaque o que você fez de importante durante seu curso, se foi contemplado com bolsas, se participou ou organizou eventos, bem como, suas produções, dentre outros dados que julgar importante.

Gisele Mazon é doutoranda em Administração pela Universidade do Vale do Itajaí. Titulou-se Mestre em Administração em 2009, e graduou-se em Administração em 2004, ambos títulos pela Universidade do Sul de Santa Catarina. Atualmente é Analista Acadêmico na Universidade do Sul de Santa Catarina sendo responsável, na Pró-Reitoria de Ensino, de Pesquisa e de Extensão da Instituição. Atua também como professora na área de administração, em disciplinas com ênfase em Estratégia Empresarial. Seu foco de pesquisa é nos estudos sobre ambiente, comportamento estratégico, recursos e desempenho em organizações.

COMPARTILHAR

1 Comentário

Comments are closed.