Estudante de Eng. Civil é aceita em universidades internacionais para programa Master

A universidade é o ponto de partida para novos desafios e conquistas. Entrar para o mercado de trabalho é um dos principais objetivos para os estudantes. Nos Estados Unidos e em toda a Europa é comum jovens optarem por Master, programas de mestrado com foco profissionalizante. É o caso de Luísa Ramos Steiner, aluna de Engenharia Civil da Unisul, Unidade Pedra Branca.

Luísa se inscreveu para o programa Master of Science em algumas universidades fora do país e comenta: “o que me levou a procurar por esses programas foi a necessidade que eu senti de aprimorar meus conhecimentos em uma determinada área, decidi procurar um programa fora do país porque não encontrei nenhum que chamasse minha atenção por aqui e que fosse realmente ser um diferencial na minha formação.”

A futura engenheira já vivenciou a experiência de estudar fora do pais pelo programa ciências sem fronteiras em 2014, além de aprimorar o inglês também cursou matérias de Engenharia Civil no ano seguinte. No período de férias da universidade teve a oportunidade de participar de um grupo de pesquisa em uma das melhores universidades dos EUA, a Pennsylvania State University (PSU): “antes de ir para os EUA eu nunca tinha pensado em fazer um Master Program, mas essa experiência no exterior fez crescer uma vontade de voltar pra fora para aprimorar meus conhecimentos em engenharia.”

Luísa recebeu cartas de aceitação da Universitá di Bologna na Itália e Vrije Universiteit Brussel. O programa é em Engenharia Civil, com duração de dois anos e consiste em disciplinas gerais no primeiro ano e no segundo a escolha fica por conta do aluno de acordo com o enfoque que ele queira dar. A partir do segundo ano é obrigatório realizar um estágio de 3 meses e escrever uma tese final. A matricula para o programa é realizada em Julho, até lá a aluna irá avaliar as oportunidades de mercado de trabalho em cada país e decidir o que se enquadra melhor para seu perfil.

Desde o início a universidade teve um papel importante como um dos principais incentivadores, para Luísa Ramos: “os professores sempre me incentivaram quando eu perguntava sobre fazer um intercâmbio, e o Exchange Office da Unisul me ajudou bastante em relação a oficialização dos documentos traduzidos, pois as traduções deveriam ser reconhecidas e carimbadas pela Universidade de origem do estudante para se tornarem oficiais.”

Estimular os alunos a buscarem experiências além dos ambientes de aprendizagem é um dos movimentos que reforçam o compromisso da Unisul com o ensino e a destaca entre as melhores Universidades de acordo com a avaliação do MEC.

COMPARTILHAR