Aula pública sobre alfabetização mobiliza participantes de todo o país

A professora Maria do Rosário Mortatti, escritora e livre docente da Unesp, campus de Marília, ministrou a aula pública “Alfabetização: uma questão de método ou de projeto de nação?” na noite desta quinta-feira, 18 de março. Evento reuniu 240 participantes de todo o Brasil.

Maria do Rosário problematizou a temática da alfabetização já a partir do título da aula. Ao questionar se a alfabetização é uma questão de método ou uma questão de projeto de nação, destacou a injustiça de imputar aos métodos a face mais visível do fracasso da alfabetização. Para ela, a face oculta desse problema não são os métodos, mas políticas educacionais a serviço de projetos de nação.

Por meio de um discurso bem articulado e fundamentado em uma perspectiva histórica da alfabetização, a professora chamou a atenção para o fato de que esse reducionismo é usado para desviar a atenção de uma questão maior e mais importante – os projetos de nação – que antecedem a escolha de métodos e determinam certa hegemonia de um método sobre outro.

Indicando livros, muitos deles gratuitos e disponibilizados no site da Editora da Unesp, recomendando leituras, citando autores sobre a temática, a pesquisadora posicionou-se em favor de uma alfabetização discursiva. Defendendo um olhar para a alfabetização que parte do texto, ela argumentou que “tudo o que precisamos para alfabetizar está no texto”.

Repercussões

A aula pública provocou um processo de reflexão evidenciado nos comentários dos participantes pelo chat, que acompanharam atentamente a fala da professora e postaram perguntas e/ou comentários.

Jéssica Mendes, por exemplo, assim se manifestou: “Que fala… que aprendizado… Meu Deus, foi um divisor de água para mim, eu nunca me envolvi muito em questões políticas, mas percebi o quanto influencia no nosso trabalho e na qualidade de vida de muitas crianças, jovens e adultos que precisam ser alfabetizados”.

A aula pública foi assistida por professores, alunos e pesquisadores de mais de 20 instituições, entre as quais universidades como UNESP, UNICAMP, UFU, UFMS, UFMA, UNIP, IFSUL, UNICESUMAR, UENP, UFPB, UFOPA, IFG, e de 12 estados do Brasil, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Maranhão, Paraná, Paraíba, Pará, Goiás, Mato Grosso e Rondônia.

Para a professora Chirley Domingues, foram muitas as repercussões da atividade, além daquelas mais imediatas durante a aula: e-mails, mensagens no whatsapp, manifestações nas redes sociais de agradecimento e apoio à atitude de resistência ao método fônico que vem sendo imposto pela atual política de alfabetização.

“Um dia depois da aula pública no YouTube, já tivemos mais de 150 visualizações. Essas repercussões possibilitam a nós, professores/pesquisadores do PPGCL e do PPGE, ampliar articulações com outros pesquisadores e instituições, fazer parcerias, enfim, produzir novos conhecimentos e compartilhar coletivamente”, complementa a professora Ana Maria Esteves Bortolanza, organizadora da atividade.

O Evento

A aula pública de Maria do Rosário, que foi viabilizada pela plataforma zoom em razão do isolamento social neste momento tão grave da pandemia pelo Covid-19, faz parte de um ciclo de palestras a ser realizado no primeiro semestre de 2021 integrando estudantes da pós-graduação e da disciplina “O texto na Alfabetização” do curso de graduação em Pedagogia da Unisul.

A atividade foi organizada pelo “Grupo de Estudos e Pesquisas Relações Linguagem, Cultura e Estética” (GEPEL) do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem (PPGCL) e Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade do Sul de Santa Catarina.

O GEPEL, que é liderado pelas professoras Chirley Domingues e Ana Maria Esteves Bortolanza, pesquisa, estuda e realiza atividades nas áreas de leitura e escrita, literatura infantil e juvenil, formação do leitor, ensino e aprendizagem da leitura e da escrita, entre outras vinculadas à linguagem, em diferentes perspectivas teórico-metodológicas.

Parte das atividades do grupo é disponibilizada ao público por meio do canal do YouTube “GEPEL – Linguagem, Cultura e Estética”, que pode ser acessado aqui.

Sobre a professora Maria do Rosário Mortatti

A professora Maria do Rosário Mortatti é licenciada em Letras (1975) pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Araraquara-SP, mestre (1987) e doutora em Educação (1991), pela Faculdade de Educação da UNICAMP. Atuando no curso de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação da UNESP de Marília, dedica-se a pesquisar e publicar temas relativos às áreas de história da formação de professores, história do ensino de língua portuguesa, história da alfabetização, história da literatura infantil e juvenil, história do ensino de literatura.

PPGCL recebe inscrições para Mestrado e Doutorado

O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Unisul está com as inscrições abertas para o Mestrado e o Doutorado com oferta nos campi Pedra Branca e Tubarão. As inscrições estão disponíveis até o dia 30 de abril e podem ser feitas em: unisul.br/ppgcl

Os cursos de Mestrado e de Doutorado possuem duas linhas de pesquisa: Texto e Discurso e Linguagem e Cultura. Tendo como diferencial sua multidisciplinaridade, acolhendo estudantes das mais diversas licenciaturas e bacharelados que se interessam por objetos textuais, discursivos e culturais.

Por conta da pandemia de Covid-19, o contato com o PPGCL está sendo feito a distância. Fale com a equipe por meio do Whatsapp (48) 3621-3369 ou pelos e-mails ppgcl.sec@unisul.br e ppgcl.pb@unisul.br.

COMPARTILHAR