Conferência aborda alfabetização humanizadora

Professor da UNESP – campus de Marília, Dagoberto Buim Arena, apresentou na última quinta (15) a conferência “Alfabetização Humanizadora”. Evento é uma iniciativa do Grupo de Pesquisa Relações Linguagem, Cultura e Estética (GEPEL) do PPGCL e do PPGE da Unisul e do Núcleo de Alfabetização Humanizadora (NAHum) e envolveu mais de 100 participantes de todo o Brasil.

A proposta de Dagoberto Buim Arena assume que a linguagem escrita é um instrumento cultural complexo que cumpre uma função social como meio de interação entre os sujeitos sociais e de estabelecimento de relações de poder entre eles. Justamente por isso que a escrita supõe o domínio de um conteúdo que não pode ser reduzido ao conhecimento do sistema normativo de representação da língua, nem mesmo nos momentos iniciais do processo de aprendizagem da escrita, pois, com isso, elas teriam uma visão míope do modo como funciona o mundo da escrita e de quais as implicações disso para sua própria vida.

Para o pesquisador, desde o princípio da escolarização da criança, o processo de apropriação da linguagem escrita supõe o conhecimento dos diversos gêneros discursivos, constituídos historicamente nas mais diferentes esferas de interação social, com suas peculiaridades de organização, cumprindo diferentes finalidades interativas entre os interlocutores, veiculando variados conteúdos e estilos conforme as circunstâncias em que são utilizados.

Arena é licenciado em Letras pela Unesp (1972) e pedagogo pela Faculdade de Ciências e Letras de Votuporanga (1978). Fez mestrado e doutorado em Educação pela Unesp (1991 e 1996) e pós-doutorado pela Universidade de Évora, Portugal (2007), pelo Instituto Nacional de Pesquisas Pedagógicas (INRP) de Lyon, França e pela Sorbonne, Paris IV (2014). Livre-docente pela Unesp em 2013, atua hoje no Departamento de Didática e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, em Marília. O pesquisador tem experiência na área de Educação, com ênfase em Métodos e Técnicas de Ensino, atuando principalmente em temas como leitura, alfabetização, leitura e escrita.

O Núcleo de Alfabetização Humanizadora (NAHum) é formado por um grupo de educadores preocupados com o processo de apropriação da linguagem escrita pelas crianças brasileiras, filhas de trabalhadores, estudantes de escolas públicas. O Núcleo busca ampliar as discussões teóricas e práticas sobre o processo de alfabetização no campo das ciências humanas e constituir um conjunto de conhecimentos, análises e reflexões sobre a temática, que possibilitem uma visão e um posicionamento críticos frente às concepções defendidas nos documentos oficiais e presentes em certas práticas escolares que focalizam a língua como sistema formal de representação da linguagem humana; e promover debates teóricos e disseminar práticas para a criação de um movimento composto por professores de diferentes instâncias educacionais, na defesa de uma alfabetização humanizadora.

O Grupo de Estudos e Pesquisas Relações Linguagem, Cultura e Estética (GEPEL), liderado por Chirley Domingues e Ana Maria Esteves Bortolanza (PPGCL/PPGE) agrupa pesquisadores, docentes, estudantes que se interessem por estudos sobre relações entre linguagem, cultura e estética com foco nos processos de leitura e formação de leitores e de escrita e formação de autoria em textos verbais e não verbais, textos híbridos de diferentes gêneros discursivos, e textos de literatura infantil e juvenil, em contextos formais, não formais e informais. O GEPEL discute aspectos psicológicos, filosóficos, históricos e culturais, linguísticos e literários da linguagem e suas relações com o desenvolvimento humano. Congrega investigações sobre as práticas e os espaços de mediação da leitura literária, estabelecendo, ainda, diálogos sobre o ensino e a leitura da literatura; literatura infantil, alfabetização, ensino e aprendizagem.

COMPARTILHAR