Palhoça comemora 126 anos e a Unisul faz parte dessa história

Na última década para cá Palhoça destaca-se no cenário econômico catarinense e até mesmo nacional. Esse reconhecimento deve-se ao desenvolvimento ao longo dos últimos anos quando empresas e indústrias elegeram o município como local para suas instalações, acolhendo também de muitas famílias que nela chegam para aproveitar as oportunidades de emprego e renda.

É também conhecida por suas belezas naturais e diversas opções de lazer, como suas praias, pousadas, restaurantes e parques ecológicos. É sede do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, rico em fauna e flora, que possibilita aos visitantes a prática de diversas atividades ao ar livre.

O nome Palhoça originou-se  das casas de pau-a-pique, construídas com cobertura de palha. Até o ano de 1894 pertencia à cidade vizinha, São José e naquele mesmo ano, passou a ser reconhecida como município. Mas somente 25 anos depois se tornou cidade.

Seus primeiros colonizadores foram os portugueses que inicialmente habitaram a Enseada de Brito e aos poucos se instalaram pelas redondezas. Posteriormente, outras etnias como os alemães e italianos contribuíram para a formação do povo palhocense.

A Unisul já criou suas raízes em Palhoça e iniciou suas atividades na Ponte do Imaruim, no Colégio Maria Vargas. Como a Universidade acompanha a expansão dos locais em que atua, tempos depois, instalou-se no bairro Pedra Branca, dando origem ao então campus Universitário da Grande Florianópolis, o atual Campus Pedra Branca, onde está há mais de 20 anos.

Parabéns Palhoça por seus 126 anos de história!

COMPARTILHAR