Unisul lamenta a morte do poliglota Carlos Amaral Freire

O filósofo, linguista e poliglota Carlos Amaral Freire faleceu na noite do dia 17 de outubro, na Cidade de Canela, no Rio Grande do Sul.  Era natural de Dom Pedrito (RS) e no dia 27 completaria 89 anos. Nos últimos anos, Freire enfrentava a doença de Alzheimer e também estava com problemas circulatórios. Sua saúde piorou rapidamente ao longo das últimas semanas.

O poliglota estudou 150 idiomas e deixou uma antologia de 60 poesias. Atuou como linguista e tradutor juramentado de diversas línguas. Recebeu o certificado do Guinness como o brasileiro que conseguia traduzir mais textos em línguas estrangeiras. Em 2014, a Unisul outorgou-lhe placa para registrar-lhe o mérito como recordista mundial de conhecimento, assinada pelo professor Sebastião Salésio Herdt, Reitor da Unisul, na época.

“Lastimável e com ele perdemos um mundo cultural ambulante retidos em sua memória no aprendizado de cada língua. Tenho muito presente sua palestra para professores e alunos da Unisul. Condolências.”, disse o professor Salésio Herdt, presidente da Fundação Unisul.

A Unisul lamenta o falecimento do poliglota Carlos Amaral Freire e presta condolências à família.

Texto com informações do site Chapecó online e da Academia Brasileira de Filologia.

COMPARTILHAR